quinta-feira, 28 de julho de 2016

Cremilda da Silva Conceição, 70 anos, a 'Vovó Vida Loka' que espancou cachorro em Cachoeiro do Itapemirim, ES














Avaliei se deveria postar este vídeo...

Nem achei que conseguiria assistir até o final...

Porém, para entendermos o grau da brutalidade é necessário expormos a cena...

De passar mal...

De tirar o sono...

Inacreditável  alguém, não pertencente ao Estado Islâmico,  capaz em sã consciência providenciar tamanha crueldade sem motivação racional...

Quem filma tudo ainda dá gargalhadas...

Perdeu-se limites...

Cremilda foi presa pela PM de Cachoeiro de Itapemirim e não demonstra nenhum sentimento de culpa...

Vovó Cremilda é a deformidade em estado bruto...

Idiotas também envelhecem...

Vovó Cremilda Vida Loka é uma coitada sem alma...

Que nunca deveria ter sido gerada...

Se existe inferno Vovó Cremilda se candidatou para jamais retornar...

Tomara que seja estraçalhada na cadeia...

A pauladas...

Tomara...





Jorge Schweitzer
















terça-feira, 26 de julho de 2016

Sofrência paixão




A internet proporciona presenciar verdades absolutas proferidas por anônimos que outrora reservadas apenas a pensadores consagrados...

Sabe aquela sacada tão evidente que todo mundo já pensou mas não conseguiu jamais traduzir em linguagem articulada?

Pois é...

A rede alargou este caminho fechado aos filósofos celebrizados...

O mais bacana é que o imaginário coletivo por vezes depende apenas da reflexão observadora de um único iletrado com suas confusões ortográficas para clarear o óbvio sintático natural...

O que tínhamos mania de adjetivar de ditos populares sem autoria...

Frases simples que todo mundo entende quando o sofrêncio Pablo do Arroxa se esgoela convincente...

Regredi para comparar com frases ditas por Lou Andreas Salomé, à musa paixão platônica de 
Nietzsche cheia de próclises, ênclises e mesóclises...

Putz!

Na verdade...

Paixão é um troço direto que dispensa frases elaboradas...

Complicou linguajar a dona vai procurar outro língua solta mais convincente...

Amor verdadeiro necessita de expressão real com uma braçada de flores, bombons da Kopenhagen, um automóvel zero envolto em laço vermelho e um anel de diamantes...

O resto é história fiada sem fim...




Jorge Schweitzer






Avô





Toda criança gosta do avô...

Todas..

Existem estas químicas inexplicáveis...


É meio furada a teoria que ao avô palhaço se abre um universo circense onde tudo lhe é permitido para agradar o neto como tradução da sinergia inexplicável...

Tem algo a mais que é um mistério...

Não conheci Aprígio - meu avô materno - mas adorava escutar as histórias que minha avó Antônia descrevia, com detalhes, enquanto fazia pão caseiro; pudim; sagú ou bolinhos de arroz no fogão à lenha...

Com meu avô paterno tive pouquíssimos encontros...

Mas lembro de todos...

Ele era magro, alto, soturno e fumava cigarro palheiro...

Com seu afiado canivete curvado recortava rodelas do fumo de rolo comprado na venda da esquina cheia de cachaceiros...

Esfarelava com as suas imensas e amareladas palmas das mãos calejadas...

Pegava a palha e modelava um cigarro imenso...

Um ritual magnífico e majestoso em câmera lenta...

Nos matava de rir colocando a brasa do cigarro dentro da boca a soltar fumaça pelo nariz...

E...

O melhor do nosso espetáculo infantil...
 

Meu avô soltava fumaça pelas orelhas...

Como ele fazia aquilo?

Não tenho a menor idéia...

Ele tinha habilidade única de ficar com a cabeça imóvel e remexer somente as orelhas...

E, de dentro de ambas orelhas, saia fumaça em profusão...

Repetia inúmeras vezes para nosso delírio...

Depois ficava meses sem nos reapresentar o número...

Calado em seu canto...

Entre goles de chimarrão na cuia grande de porongo com erva mate Safira...

Pitando...

Em meio aqueles círculos de fumaça no ar como nuvens de algodão nas coxilhas do Rio Grande...

Minha Vó Otília quando ficava nervosa falava em alemão...

Belo dia todos consideravam que ela havia enlouquecido...

Menos eu...

Foi colocada em um asilo longe lá de casa...


Sempre a visitava com meus pais, aos domingos...

Ela ficou muito triste por lá...

Como uma criança abandonada num cesto naquela porta...

Era uma casa fria de corredores intermináveis...

Vó Otília ficava mais maluca ainda quando me via e me cobria de beijos apaixonados e seu cheiro inesquecível me segurando com suas mãos amarrotadas cobertas de pintas que eu alisava contando quantas...

E ela a cada vez tão mais criança quanto eu...

Num Alzheimer confundido com esclerose senil...

Por vezes confundia meu nome com de meus irmãos...

Mas relembrava lúcida da semana anterior quando me presenteou balas de goma retiradas de sua caixa de alumínio com duas bailarinas pintadas na tampa como um painel Da Vinci...

Minha vó adorava me apresentar como troféu para outras internas com orgulho por eu ainda amá-la...

Belo dia...

Meus pais não me permitiram mais que os acompanhasse até lá...

Não compreendi...

Nunca mais a vi...

Minhas referências foram embora sem que me fosse permitido um abraço de despedida a revelar o número total de pintas que o tempo sábio tatuou...

E fui capaz de contar quantas...




Jorge Schweitzer






sexta-feira, 15 de julho de 2016

Uber do Google Vs Táxi Regulamentado






Nesta nova época em que virou escaramuça midiática 'Uber Vs Táxi', Valdeci Silva apenas fez sua parte; sem imaginar nenhuma reprodução na imprensa...

Mas, Valdeci, merece nosso respeito...

Valdeci Silva, taxista regulamentado de 43 anos de idade, socorreu uma moça que acabara de ser esfaqueada no pescoço por assaltante no Estácio - Centro do RJ, e a levou - junto com a filha de 7 anos de idade -  para o Hospital Souza Aguiar; onde infelizmente veio a falecer...

Provável que muita gente passou pelo local e ficou estagnada pela brutalidade abandonando a normal reação humana de solidariedade ou se esquivou de ensaguentar seu automóvel inteiro ao se envolver em 'problema que não era seu'...

Valdeci não pensou em nada que não acolher  seu impulso natural de humanidade...

Valdeci Silva é dessas pessoas absolutamente diferenciadas que nos permitem acreditar...

Conheço inúmeros, incontáveis, episódios de taxistas que socorreram anonimamente pessoas pelas ruas do Rio de Janeiro nas mais variadas situações de risco...

Só que isto não vira manchete relevante...

O preconceito estereotipado de taxista casca-grossa; incivilizado; mal educado e sem escolaridades é mais atraente para jornalistas emoldurarem desmoralizar regulamentados profissionais enquadrados por normas e padrões que levaram o poder público criar um emaranhado de órgãos estatutários de fiscalização cabide de emprego e terrorismo digno de território feudal ...

O Ovo da Serpente sempre se acastela na cauda certificada da embocadura...

Atualmente o G1, Facebook e página do site do jornal O Dia estampam chamada remunerada recomendando que 'você pode ser patrão de si mesmo ao se cadastrar gratuitamente no Uber e começar a faturar imediatamente'...

Aos poucos, a ilegalidade do Uber sem fiscalização -  fomentada pelo poder do aporte financeiro do Google - vai emaranhando seus tentáculos a justificar esperto investimento bilionário...

Não tenham mínimas dúvidas que no cerimonioso  manual de redação de qualquer mídia estará como mensagem oculta que taxista regulamentado deve ser espezinhado de forma subliminar inteligente, perspicaz e metódico sem despertar suspeita de indecente  cooptação financista informal...    

Já não sou taxista há tempos...

Tenho muito orgulho de ter sido...

Muito...

Quem me acompanha sabe...

Agora...

O Uber, convenhamos,  é uma elaborada  estratégia ladina onde na  falta de opção se tornou  refúgio 171 apropriado para desempregados apavorados com a crise que, como escrava massa de manobra, que logo a frente  perceberão a oportunista armadilha dos colonialistas pós  modernos de capitães ianques do mato tupiniquim...

Pouco plausível que pelo menos vinte Uber's  ou 500 carros particulares não tenham passado pelas imediações do Centro de Convenções SulAmerica; do escritório Central de Organização das Olimpíadas ao lado do Metrô Estácio ou do prédio Piranhão da Prefeitura e não tenham assistido uma senhora esfaqueada se esvaindo em sangue e preferiram seguir em frente...

Um taxista regulamentado a acolheu...

Agora, tenham certeza...

Se Valdeci fosse um Uber, também o faria...

E sua foto estaria na primeira página do Globo ponto Com...

Não está...

Nem precisa...

Lógico, o Google irá me sacanear daqui pra frente...

Sem problemas...






Jorge Schweitzer


terça-feira, 12 de julho de 2016

Segure a respiração e ouça meu coração explodir





Na Rede somos todos perfeitos...

Ou ao menos tentamos insinuarmo-nos como...

Nunca somos barrigudos...

Carecas...

Feios...

Chatos...

Ignorantes...

Hipócritas...

Imbecis...

Nossas fotos estampam nossos melhores ângulos e momentos...

Quando a inspiração desaparece reeditamos sábias citações alheias...

Quando encontramos algo melhor que nós, debochamos e fazemos chacota...

Quando nos apaixonamos por uma fotografia, que nem temos certeza se pertence àquele identificado, postamos mensagens sutis ou declarações depravadas tentando reflorescer conquistador hibernado que passou a vida inteira ruborizando-se ao elogiar alguém atraente...

Nossas profissões e posição social são aquilo que perseguimos sem sermos bafejados pela boa-sorte...

Somos o Super Man...

O Homem Aranha...

O Brad Pitt maquiado...

O Tom Cruiser repaginado...

O galã bombado...

Ninguém é Chapolin Colorado...

Não temos mau-hálito...

Chulé...

Inhaca...

Unha encravada...

Cascão na sola do pé...

Cabeleira na narina ou na orelha...

Somos assépticamente perfumados e limpos...

Quando temos dificuldades com o vernáculo dissimulamos escrevendo em internetês com direito a todas barbaridades e nenhum conteúdo...

Não somos pobres...

Fudidos..

Com contas atrasadas...

Nem cornos...

Velhos...

Brochas...

Covardes...

Perdedores...

Somos todos glamourosos...

Nossos sentimentos são os mais nobres...

Defensores de adiposas baleias e magérrimos cachorros abandonados...

Acolhemos humildes desdentados...

Somos solidários com os excluídos e oprimidos...

Nos escudamos atrás do anonimato ou nomes fictícios para não fazermos nada e não sermos identificados ou alcançados...

Praticamos o voyerismo impune circulando por endereços de outros mentirosos como nós, acreditando que as 365 máscaras utilizadas durante todo ano jamais desgrudarão de nossas faces...



Jorge Schweitzer






Simples desse jeito






Inventei um fantasma assustador...

Cibernético...

Virtual...

Irreal...

Robótico...

Chamado Amor...

Como quem inventa o fogo...

E não controla a chama...

Como inventar a imagem...

E não achá-la...

Como inventar o som...

E não dominar a voz...

Inventei o riso...

E perdi a graça...

Inventei a melodia...

E perdi o tom...

Inventei o apetite...

E não posso saciá-la...

Inventei a paz...

Vivo em desordem...

Inventei teu paraíso...

Espero a porta abrir...

Inventei o sonho...

Espero o despertar...

Inventei meu destemor...

Provoquei medo...

Desinventei teus pesadelos...

Me redescobri sonâmbulo...




Jorge Schweitzer





terça-feira, 5 de julho de 2016

Pablo do Arrocha e Nietzsche






A internet nos proporciona presenciar verdades absolutas proferidas por anônimos que outrora reservadas apenas a pensadores consagrados...

Sabe aquela sacada tão evidente que todo mundo já pensou mas não conseguiu jamais traduzir em linguagem articulada?

Pois é...

A rede alargou este caminho fechado aos filósofos celebrizados...

O mais bacana é que o imaginário coletivo por vezes depende apenas da reflexão observadora de um único iletrado com suas confusões ortográficas para clarear o óbvio sintático natural...

O que tínhamos mania de adjetivar de ditos populares sem autoria...

Frases simples que todo mundo entende quando o sofrêncio Pablo do Arroxa se esgoela convincente...

Ou Chitãzinho ou Xororó solfejam Evidências...

"Quando eu digo que deixei de te amar
É porque eu te amo
Quando eu digo que não quero mais você
É porque eu te quero
Eu tenho medo de te dar meu coração
E confessar que eu estou em tuas mãos
Mas não posso imaginar
O que vai ser de mim
Se eu te perder um dia..."

Regredi para comparar com frases ditas por Lou Andreas Salomé, a musa paixão platônica de Nietzsche cheia de próclises, ênclises e mesóclises:

"Tu, céu claro sobre mim,
Quero confiar-me a ti
Não permitas que o prazer e a dor daqui
De admirar-te possam-me impedir!
Tu, que sobre tudo te projetas,
Através de espaços e através dos ventos,
Mostra-me aonde vais, pois é minha meta
Reencontrar-te em todos os momentos.
Do prazer não quero ver o fim
Não fugirei do sofrimento que abate,
Espaço e mais espaço é o que quero sobre mim
Para ajoelhar-me sobre o azul e venerar-te."

Putz!

Na verdade...

Paixão é um troço direto que dispensa  frases elaboradas...

Complicou linguajar a dona vai procurar outro língua solta mais convincente...

Amor verdadeiro necessita de expressão real com uma braçada de flores, bombons da Kopenhagem, um automóvel zero envolto em laço vermelho e um anel de diamantes...

O resto é história fiada sem fim...




Jorge Schweitzer






sexta-feira, 1 de julho de 2016

Lírio Parisotto, o benjafezo petroquímico osculado pela Luiza Brunet agredida






Lírio tem cara de trouxa não...


Lírio tem cara do finado  Paulo Francis...

Mas, não o é...


O gaúcho Lírio Parisotto aparece como um dos 600 homens mais ricos do mundo, com uma fortuna estimada em quase US$ 2,5 bilhões...

Ou, mais de R$ 8 bilhões...

O empresário Lírio atua em vários setores, como o de petroquímica e de mídia...

Como petroquímica nos arremete à Petrobrás não há como não ficar com um raio de pulga atrás da porra da orelha..

Existe uma questionável máxima que qualquer fortuna ocasional haja-se forjada na ilegalidade...

Descreio...

Mas, sou solitário único...

Possível que Lírio Parisitto seja um  benfazejo osculado pelo clemente destino que o premiou acidental...

Porém...

Deu chabú...

Toda fortuna de Lírio Parisitto será agora rastreada cada centavo após episódio de agressão da Luiza Brunet...

Caminhos tortos se encruzilham na curva tônica do deslumbramento imedido à qualquer pálida irrazão entre unhadas, cuspidas e quatro costelas quebradas....

Na realidade, deu merda...

Barraco familiar tomou contornos com direito a Jornal Nacional e quadro no Fantástico...

Lírio Parisitto se tornou simbolo de tudo deplorável que possa haver na face da Terra...

Mesmo em qualquer de seu pior pesadelo jamais Lirio ousaria imaginar...

Lírio Parisotto está encrencado para todo o sempre...

Lírio deve estar com inveja danada da máxima opção do Olacyr de Moraes...

Dinheiro compra tudo...

Menos cabeça no travesseiro...




Jorge Schweitzer





Lirio Parisotto queria ser famoso; Luiza Brunet o tornou...







A gente não sabe o que realmente  aconteceu no entrevero íntimo entre o Lirio Parisotto e a Luiza Brunet mas...

A se confirmar que ela teve quatro costelas quebradas, como alega, ele está seriamente complicado e marcado para todo o sempre, mesmo que consiga se livrar do braço da Lei com advogados ladinos e otimamente remunerados que são os únicos que devem estar festejando sua desgraceira...

Lirio passou a vida inteira perseguindo a notoriedade que, finalmente, conseguiu, da pior forma possível...

O Lirio acaba de desembarcar, sem retorno, em todos seus piores infernos onde tudo que declarar (como: 'nunca na vida agredi homem') lhe retornará em efeito implacável bumerangue...




Jorge Schweitzer




Cavendish soube dois dias antes que seria preso... Eu, um!









Na noite anterior a decretação da prisão do Cavendish, eu publiquei texto sobre fechamento dos restaurantes populares e o citei, assim como o fotos dos guardanapos na cabeça do Sérgio Cõrtes e asseclas no restaurante do Hotel Ritz em Paris...

Ainda não havia nenhuma notícia que a quadrilha do Sérgio Cabral seria novamente desentocada...

Curioso, né?!

Como eu soube com antecedência, já que não prevejo os seis números da megasena?

Não posso contar...

Agora, uma coisa é certa: Cavendish igualmente teve a mesma informação dois dias antes, já que se refugiou em Ibiza...

Mas, me atrevo, do alto da minha comprovada competência premunitória, informar:

Dentro em breve teremos Sérgio Cabral preso!

Guardem esta postagem...

Pezão, seu braço executor, só não vai junto por alegadas compaixões humanos justificadas...

Aguardem!    



Jorge Schweitzer






PS: As fotos que  aparecem guardanapos na cabeça do médico Sérgio Côrtes e granfinas com sapatos avermelhados no solado foram divulgadas pelo ex-governador Anthony Garotinho e obtidas pelo mesmo através de investigadores policiais que negociaram o notebook de uma das vítimas do acidente de helicóptero afundado em Trancoso em 2011...





Lírio Parisotto está proibido de se aproximar de Luiza Brunet






Lírio Parisotto está proibido de se aproximar de Luiza Brunet, diz MP
Segundo o Ministério Público de SP, empresário também não pode manter contato com a ex-modelo - que o acusou de agressão - por qualquer meio.


Marília Neves
Do EGO, em São Paulo




O empresário Lírio Parisotto está proibido de se aproximar de Luiza Brunet, informou o Ministério Público do Estado de São Paulo. De acordo com comunicado enviado pelo órgão na tarde desta sexta-feira, 1, o empresário também não poderá manter contato com a atriz e ex-modelo por nenhum meio, após Luiza tê-lo denunciado por agressão. Como o MP já havia informado anteriormente, o caso é protegido por sigilo.


Confira o comunicado do MP:

"A atriz e ex-modelo Luiza Brunet fez uma representação ao Grupo de Atuação Especial de Enfrentamento à Violência Doméstica (GEVID) do Ministério Público do Estado de São Paulo, relatando ter sido vítima de agressão doméstica. Em razão dessa representação, o Promotor de Justiça Carlos Bruno Gaya da Costa requisitou a realização de exames de corpo de delito e instaurou um procedimento investigatório criminal que está em fase inicial e é protegido por sigilo. A Justiça deferiu pedido do MP e na última terça-feira decretou medidas protetivas, pelas quais o investigado fica proibido de se aproximar da atriz e de manter contato com ela por qualquer meio. A data da representação é 23/06/2016", informou o comunicado.

A briga ocorreu no apartamento do empresário, em Nova York. A modelo, que atuamente faz a personagem Madá, em Velho Chico, contou ao colunista Ancelmo Gois, de "O Globo", que ela estava nos Estados Unidos acompanhando o então namorado no prêmio "Homem do Ano". Parisotto teria começado a discutir com a atriz em um restaurante e, depois, as agressões seguiram no apartamento, onde o empresário teria partido para cima de Luiza e a agredido com um soco no rosto e chutes, chegando a quebrar quatro costelas da ex-modelo.


EGO NAS REDES SOCIAIS

Luiza Brunet fez post sobre violência à mulher na época em que foi vítima
Famosos manifestam apoio a Luiza Brunet após relato de agressão
Ministério Público de São Paulo diz que caso Luiza Brunet corre em sigilo
Yasmin Brunet posta mensagem após relato de agressão da mãe


"Ela está abalada, mas confiante na Justiça"

Em conversa com o EGO, Pedro Egberto da Fonseca Neto, advogado de Luiza Brunet, afirmou que a atriz está "abalada, mas confiante na Justiça". Ele informou ainda que Lírio será citado na Lei Maria da Penha e enviou uma nota citando a comunicação ao Ministério Público do Estado de São Paulo sobre a “situação de violência doméstica e crimes de lesões corporais graves”.


Lírio se defende

No Instagram, Lírio também se manifestou e afirmou que respeita as mulheres e que o caso será esclarecido na Justiça. "Amigos, peço um pouco de paciência a respeito de algumas informações que estão circulando nas diversas mídias. Nunca na vida agredi homem, muito menos mulher que respeito muito, quem me conhece sabe. Isto não me tira o direito de me defender de tentativas de agressão através de tapas, chutes, mordidas, unhadas etc. Tento me defender através da imobilização. Se o caso for para a justiça será lá que será esclarecida a verdade. Muita paz as pessoas do Bem. Por fim este é um canal de comunicação com pessoas de que aceitei me seguirem. Agradeço a compreensão. E a vida segue".

Mais cedo, o empresário já havia enviado um comunicado oficial para a imprensa. "Neste momento, venho a público lamentar que versões distorcidas sobre um episódio ocorrido na intimidade estejam sendo divulgadas como única expressão da verdade. Embora compreenda a natural repercussão do caso pelas pessoas envolvidas, tenho a convicção de que no momento e nas esferas legais apropriadas todas as circunstâncias serão plenamente esclarecidas".


Namoro teve idas e vindas

Luiza Brunet - que atualmente está no ar como a personagem Madá, de "Velho Chico" - e Lírio Parisotto - apontado como um dos homens mais ricos do Brasil - começaram a namorar em 2012, ficaram juntos por cerca de dois anos e terminaram em maio de 2014, sem muitas explicações. Em abril de 2016, após vários rumores de reconciliação, a ex-modelo confirmou ao EGO que os dois haviam reatado. A última vez que os dois foram vistos em público juntos foi no dia 2 de maio - dias antes das agressões - em um evento beneficente em São Paulo.







quarta-feira, 29 de junho de 2016

Começa o Criança Esperança 2016 neste sábado 02 de julho: Imperdível!






Neste próximo sábado, as 4 horas da tarde, começa o Criança Esperança...

Vou assistir, lógico...


Presenciar flagrante de trombadinhas de ocasião tungando incautos desavisados é imperdível...
Dr. Didi Mocó Colesterol Sonrisol chorando pitangas certamente marcará presença relembrando da porra de ter se cagado todo de medo de altura no Corcovado...


Lázaro Ramos tentará nos explicar que as últimas arrecadações serviram para formar crianças fingindo tocar violino no agreste sem nos comunicar que a Globo apenas arrecada e refornece numerário para a Unesco lhes repassar recibo para se safarem do Imposto de Renda Retido na Fonte..

Imperdível!


Jorge Schweitzer



Restaurantes Populares do RJ são fechados







Vários restaurantes populares do RJ, que servem almoço a 2 reais e café da manhã a preço simbólico,  já não funcionarão a partir de amanhã; incluindo o da Central do Brasil....

Os administradores do projeto  estão há 14 meses sem receber e deixarão de fornecer refeição...

O governo estadual fazer economia com excluído social é tão cruel que beira insanidade...

A roubalheira generalizada deixou como herança a falta de dignidade em escalar prioridades...

Quando se abandona desamparados ao próprio destino é primeiro sinal que a desumanidade  se perpetua no salve-se quem puder...

Somente e tão apenas a coleção completa de sapatos Louboutin da esposa e das amantes do Sérgio Cabral, do Sérgio Côrtes e do Cavendish pagariam todas as dívidas de todos restaurantes populares do Rio de Janeiro...

Filhos de putas, desgraçados...

Que todas as  furiosas pragas  os alcancem com ira completa...

Amém!



Jorge Schweitzer






terça-feira, 28 de junho de 2016

Operação Boca Livre e o golpe da Lei Roaunet







O lobby de artistas escamoteia uma indústria oculta que tunga o erário através da Lei Roaunet...

Existem infinidades de 'escritórios' de fomento a cultura e até advogados especializados...

Conheci uma específica luxuosa espelunca dessas na Rua da Lapa...

Filmei a fachada do prédio descrevendo no vídeo o que ocorria lá dentro postando no youtube na época...

Em cinco minutos eles conseguiram censurar meu filme alegando que estava os expondo...

Me ameaçaram de processo e depois me convidaram para rodada de chopp boca livre na Taberna da Glória...

Declinei...

Fui cuidar da minha vida...

Minha capacidade informal de ampliar falcatrua  ou produzir noticiário relevante se esvai na necessidade de achar que cumpri atitude de cidadania e pronto...

A Lei Roaunet possui tantos permanentes tentáculos impuros que improvável que algum dia não fosse alcançado pelo abraço da algema da Lei...

Era questão de tempo...

E, chegou a hora...

Espertos de ocasião  estão na berlinda...

A máquina Rouanet de triturar isenção fiscal em prol de oportunistas travou a engrenagem...

Infinidade de almofadinhas aproveitadores devem estar com o cú na mão...

Secou a teta...

Já não foi sem hora...

Não é, minha senhora em Movimento?

Dançou!

Eu avisei...





Jorge Schweitzer

  





O 'Muro da Gentileza' do Colégio São Vicente de Paula no Cosme Velho RJ






Intervenção feita por colégio chama a atenção de quem passa pelo local.
Proposta da ação é: 'Se precisar, pegue; se quiser, deixe'.


Daniel Silveira


Do G1 Rio


Roupas penduradas sobre um painel colorido pintado em um muro chamam a atenção de quem passa pela Rua Cosme Velho, no bairro de mesmo nome, na Zona Sul do Rio. À primeira vista, pode parecer uma vitrine. Mas, a palavra “gentileza”, destacada sobre o cabideiro, indica o valor simbólico, não financeiro, da ação: um espaço onde quem precisa, pode pegar os objetos, e quem quiser, pode deixar algo para ser retirado.

No fim da tarde desta segunda-feira (27), a dona de casa Tânia Moraes, de 46 anos, pendurava algumas peças de roupa no referido muro. Sua intenção era retribuir a aquisição da filha, de 7 anos, que ganhou uma saia retirada do local horas antes.


“Sei que eu não precisava deixar nada em troca. Mas se eu peguei algo e tenho coisas em casa que não uso, porque não deixar para alguém que venha a usar. Hoje em dia a gente tem uma atitude de acumular muito. Precisamos desapegar”, contou Tânia.

A declaração da dona de casa vai de encontro ao objetivo do Colégio São Vicente de Paulo, que promoveu a intervenção batizada de “Muro da Gentileza”, que foi inaugurada no sábado (25). “A ideia não é de promover uma troca. Este é um muro de exercício do desapego”, explicou a coordenadora comunitária do colégio, Laura Regent.

Segundo Laura, o muro foi idealizado pela professora de sociologia do colégio, Renata Salomone, e inspirado em uma iniciativa que, segundo explica um cartaz fixado no local, teria surgido no Irã. 

A concepção artística foi feita pela professora de artes da escola, Cacau Marçal, e toda a execução do projeto contou com o envolvimento dos alunos.

“É um projeto multidisciplinar. Professores de várias áreas motivaram seus alunos. Foram cerca de 150 estudantes envolvidos. No evento de inauguração, eles fizeram um grande sarau, além de intervenções artísticas e musicais”, contou Laura.

“Eu achei bem legal. As pessoas podiam ter mais sensibilidade e fazer mais coisas assim. Minha filha de dois anos tem muita coisa que não usa mais e eu vou trazer para cá”, disse a dona de casa Viviane do Nascimento, que parou para admirar o muro.

Além do espaço para roupas, o Muro da Gentileza do Colégio São Vicente de Paulo conta com prateleiras onde podem ser depositados calçados, CDs, DVDs, livros e outros objetos. “A gente quis dar uma pegada que fosse além da doação de objetos. 

Então, queremos estimular também a troca de algo que tenha valor apenas simbólico, como poesias que serão deixadas pelos alunos”, destacou Laura Regent, coordenadora comunitária do colégio.





PS: Taí uma excelente ideia  fácil de ser copiada com êxito... JS