terça-feira, 25 de outubro de 2016

Intimação para depor em caso de agressão à ex teria motivado pai a matar filha de cinco anos de idade na Tijuca, RJ






Avô paterno foi intimado para prestar depoimento em processo de 2012. Isso teria gerado um surto em Marcus Vinícius, segundo a polícia



MARIA INEZ MAGALHÃES



Rio - Uma intimação para o pai de Marcus Vinícius da Silva Alves, de 34 anos, depor no último dia 17 num processo que a ex-mulher dele move contra ele por ameaça e incêndio teria sido a causa do surto que o teria levado a matar a filha, Marina Luz Borges Alves, de 5 anos, no domingo. O objetivo seria se vingar da mãe da menina. É que, em 2012, ela registrou queixa contra ele na 19ª DP (Tijuca) após uma briga do casal, que acabou se separando depois do desentendimento. À época, ele teria ameaçado jogá-la da escada se ela não o deixasse em paz, jogou as coisas da ex-mulher pela janela, se trancou no quarto e ateou fogo no cômodo. De acordo com o registro, ele já apresentava problemas. O fato teria acontecido no mesmo endereço onde ele morava com os pais e onde a menina foi achada morta. Há informações de que ele tomava remédios controlados e que estaria psicologicamente sob controle, mas que teria ficado muito nervoso após a intimação recebida pelo pai.


De acordo com a polícia, Marcus teria matado a filha, saído de casa e mandado mensagens para os pais. A conversa levou a polícia a suspeitar dele. Nas mensagens, ele pede ao casal para ir até o quarto da filha de 5 anos porque ele havia deixado algo lá para eles. No entanto, o casal entrou no cômodo, mas não percebeu nada de errado porque Marina parecia que estava dormindo. Mas, em seguida, Marcus Vinícius perguntou se a filha estava bem e foi, então, que os pais voltaram ao quarto e viram que a criança estava morta. A menina teria sido morta por asfixia, sufocada por um travesseiro. "Exames de necropsia não apontaram envenenamento, nem medicamentos no estômago da menina, nem sinais de abuso sexual e nem marcas de esganadura, mas a polícia ainda aguarda exames complementares", explicou o delegado-titular da DH, Fábio Cardoso.

Marcus Vinícius, segundo a polícia, é o principal suspeito de matar Marina Luz Borges Alves, 5 anos, e por isso teve a prisão temporária decretada essa madrugada pelo juiz de plantão. Ele foi encontrado pela polícia no Hospital Psiquiátrico Phillipe Pinel, em Botafogo. Ele teria sido levado para lá por familiares. Marcus Vinicius tinha a guarda compartilhada da filha que foi encontrada morta na casa dos pais com quem ele morava.





Marcus Vinícius da Silva Alves, suspeito de matar sua filha Marina Luz Borges Alves, 5 anos, é preso no RJ






Pai suspeito de matar a filha é preso em hospital psiquiátrico na Zona Sul

Ele teve a prisão decretada pela Justiça. Marina Luz Borges Alves, de 5 anos, foi achada morta na casa dos avós paternos, no domingo, na Tijuca



BRUNA FANTTI E LUIZA SANSÃO




Rio - A Delegacia de Homicídios (DH-Capital) prendeu, nesta terça-feira, o pai da menina Marina Luz Borges Alves, no Hospital Psiquiátrico Philippe Pinel, na Zona Sul. Ele é o principal suspeito da morte da criança, de 5 anos, encontrada morta na casa dos avós paternos, no domingo. Marcus Vinícius da Silva Alves, 34 anos, teve a prisão temporária decretada pela Justiça nesta madrugada.

Mensagens reforçam suspeita

"Saudades eternas dos tios, dos primos, da mamãe, da ‘voinha’ e do Fui Fui”. A mensagem estava em uma das coroas de flores depositadas em cima do caixão branco, de 1,20 metro, que guardava o pequeno corpo de Marina Luz Borges Alves, de 5 anos. A menina foi enterrada na tarde de ontem, no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap.

A criança amanheceu morta na casa dos avós paternos, no domingo, na Tijuca, com suspeita de sufocamento. O principal suspeito do crime é o próprio pai de Marina, Marcus Vinícius da Silva Alves, 34. Até a noite de ontem, porém, ainda não havia um mandado de prisão expedido pelo Tribunal de Justiça. 

As suspeitas sobre Marcus foram reforçadas por mensagens que ele enviou a amigos e familiares após o crime, pelo aplicativo de conversas Whatsapp. Embora não tenha revelado o conteúdo das mensagens enviadas, o delegado Fábio Cardoso, titular da Divisão de Homicídios (DH) da Capital, afirmou que “as comunicações indicam algo que ele tenha feito contra a própria filha”. 

O DIA apurou que pelo menos duas mensagens foram enviadas: uma para um padre e, outra, para a própria mãe da criança, Caroline Luz. Para o padre, o pai teria escrito “o motivo das discussões acabou”. Já para a mãe, a mensagem foi cruel: “Você dizia quando ela nasceu que nunca mais ficaria sozinha na vida. Estava errada”. 

Caroline esteve no velório da filha, mas, muito abalada, não acompanhou o enterro. Ela foi amparada por familiares, que estavam incrédulos com o crime e não quiseram dar entrevistas. 


Marcus morava com seus pais desde que se separou da mãe de Caroline, há quatro anos. Foi a avó paterna de Marina, Celi Alves, quem encontrou o corpo da menina, de pijamas, no início da manhã. Sem marcas aparentes de violência, a perícia concluiu que a morte foi por sufocamento. Exames periciais não apontaram veneno ou causa natural como causadores da morte.

“Não havia marcas de estrangulamento no pescoço fino da menina, o que indica que provavelmente a asfixia pode ter sido provocada por um travesseiro”, afirmou Cardoso. A necropsia atestou também que a criança não foi vítima de abuso sexual.

Ainda de acordo com o delegado, testemunhas afirmam que Marcos estava na casa no momento do crime, o que dispensa a necessidade de coleta de imagens de câmeras. “Ele sumiu estranhamente, algo que não acontecia, o que é mais um indicativo, além das outras informações, que indicam ele foi o responsável pela asfixia da criança”, disse. Os avós paternos da criança também estavam no apartamento, mas ninguém ouviu nada. Durante o enterro, eles não saíram do lado do caixão.


Vizinhos retalam brigas

Amigos e vizinhos comentam que havia problemas entre o pais da menina. Um vizinho relatou um episódio de briga do casal. “Às vezes tinham confusões, chegaram a colocar fogo na casa. Chamaram bombeiros, houve muita fumaça, e todo mundo na rua comentou que tinha sido uma briga entre eles”, disse. Segundo relatos de pessoas próximas à mãe, Marcos teria colocado fogo no colchão.

No Facebook, a mãe fazia posts que pareciam cobrar participação maior do ex-marido na vida da filha: “Quantos PAIS faltam ao trabalho para cuidar dos filhos enquanto a mãe trabalha? De quem é a “obrigação” não escrita, mas socialmente aceita de faltar, de abrir mão, de se prejudicar em função do cuidar?”, criticou.

Marcus Vinícius está desempregado e faz uso de medicamentos controlados por conta de problemas psiquiátricos, segundo a polícia. Parentes comentaram que o casal fazia terapia familiar com acompanhamento de uma psicóloga. “Nos últimos dias, ele teria apresentado alteração de temperamento”, disse o delegado Fábio Cardoso. A guarda da filha era compartilhada entre os dois e a relação com a ex-mulher é conflituosa, segundo testemunhas.

A prima de Marcus traçou perfil diferente do suspeito. “Ele gostava de mimar (a filha). Brigava com qualquer um por causa da Marina”, afirmou Daniele Alves. No velório, ela lembrava como ele cuidava dos cabelos da criança. “Vaidosa, gostava de usar o mesmo condicionador naqueles cachinhos.”


segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Marcos Vinícius da Silva Alves, 34 anos, é procurado como suspeito de assassinato da sua filha de 5 anos de idade na Tijuca, RJ






Pai suspeito de matar a filha de 5 anos na Tijuca está desaparecido

De acordo com o delegado, o corpo da criança foi encontrado pelos avós, que acionaram a polícia. O pai, que faz uso de medicamentos psiquiátricos, já não estava mais na residência


O DIA


Rio - Policiais da Divisão de Homicídios investigam a morte de uma menina de 5 anos, na Tijuca, Zona Norte do Rio. O principal suspeito do crime é o pai da criança, identificado como Marcos Vinícius da Silva Alves, 34. Ele teria matado a filha enquanto ela dormia, na manhã deste domingo. Por enquanto, não há mandado de prisão contra ele, que está desaparecido. 

“Ainda não sabemos a causa da morte, temos que esperar o laudo pericial. É um crime muito triste”, afirmou o delegado Rodrigo Brant, da Divisão de Homicídios. 



Alves estava desempregado e tomava remédios psiquiátricos. No entanto, não possuía um histórico de violência. Ele era divorciado e morava com os pais em uma casa na rua Rua Visconde de Figueiredo, local do crime. De acordo com o delegado, o corpo da criança foi encontrado pelos avós, que acionaram a polícia. Alves já não estava mais na residência.

Os policiais militares do 6º BPM (Tijuca) que chegaram ao local relataram que a menina foi encontrada deitada na cama, com sinais de estrangulamento, por volta das 7h30. Familiares não quiseram falar sobre o crime, que chocou os moradores da região.

“Uma criança indefesa, que ficava com o pai aos finais de semana. Ele parecia ser um homem amoroso com ela. Nos resta orar para que esse anjinho descanse em paz”, escreveu uma internauta, que postou uma foto do local.



terça-feira, 18 de outubro de 2016

Abaixo Assinado Justiça para Joanna Marcenal: 10.004 PESSOAS já assinaram até agora...






10.004 PESSOAS já assinaram o Abaixo Assinado pedindo Justiça para a menina Joanna Marcenal...

Obrigado, pessoal...

Obrigado a todos que assinaram, que compartilharam, que multiplicaram estas assinaturas...

Esta é nossa homenagem à memória da menina Joanna Cardoso Marcenal...

Nosso grito por Justiça...

Mais de dez mil pessoas se uniram para mostrar ao Judiciário que mesmo depois de tanto tempo de impunidade permanecemos atentos...

Queremos somente Justiça!

Só isto!




Jorge Schweitzer





segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Rogério Ferreira Alves matou Dayely Fonseca e se matou na sequencia em uma casa nos fundos de uma academia em Goiânia, Goiás






Dono de academia mata namorada e se mata dentro de casa, diz polícia
Segundo polícia, casal tinha se separado e estavam tentando reatar relação.
Corpos dos dois foram encontrados por funcionária do estabelecimento.



Vitor Santana
Do G1 GO



O dono de uma academia matou a namorada e, em seguida, cometeu suicídio nesta segunda-feira (3), no Jardim Curitiba II, em Goiânia. Os corpos de Rogério Ferreira Alves e Dayely Fonseca foram encontrados na casa do homem, que fica nos fundo do estabelecimento.

Funcionários que não quiseram ter a identidade relevada contaram que a academia estava aberta quando o crime aconteceu. "Foi uma outra mulher que trabalha aqui que achou os corpos na casa dele. Ninguém percebeu nada de estranho até então", disse uma jovem.

Segundo a polícia, o homem atirou três vezes contra a namorada e, em seguida, se matou. "A mulher não morava na casa.  Pelo que testemunhas nos relataram, eles já tinham terminado o relacionamento uma vez e agora estavam tentando reatar", disse o delegado Dannilo Proto.






sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Ônibus da banda gaúcha G10 tomba na BR-282, em Águas Mornas, e deixa dois mortos


 Lauri, vocalista da G10, contou que veículo ficou sem freio




Ônibus de banda sertaneja tomba na BR-282, em Águas Mornas, e deixa dois mortos


Ânderson Silva


Ônibus de banda sertaneja tomba na BR-282, em Águas Mornas, e deixa dois mortos
Pertences dos passageiros e equipamentos da banda foram retirados pela PRF

Duas pessoas morreram na manhã desta sexta-feira após o ônibus da banda gaúcha G10 tombar e bater contra um barranco na BR-282 em Águas Mornas, região da Grande Florianópolis. O baixista Michael Giovani Rodrigues, 40 anos, e outro integrante do grupo, Michel Fabiano de Oliveira, 25, morreram no momento em que o veículo perdeu o controle em uma curva e colidiu com algumas pedras que estavam às margens da via. Outras nove pessoas precisaram ser encaminhadas ao hospital, mas sem gravidade. 



O ônibus que seguia sentido Florianópolis tinha placas de Soledade, no Rio Grande do Sul, e tombou no Km 45 da rodovia por volta das 8h30min. Além de ambulâncias e da Polícia Rodoviária Federal (PRF), o helicóptero Arcanjo foi até o local para auxiliar no socorro das vítimas. O trânsito ficou interrompido por cerca de 40 minutos. 



Segundo o vocalista da banda, Lauri da Silva, um problema nos freios do ônibus teria ocasionado o acidente.

— Faltou o freio é isso que eu lembro. Só faltou o freio e não conseguiu fazer a curva. Eu não vi no momento (como estavam os outros passageiros) porque estava na cabine com o motorista, acordado com ele, e não vi como as outras pessoas estavam na parte de trás do ônibus.



De acordo com uma publicação na rede social do grupo, eles fariam um show na noite desta sexta-feira em uma casa noturna de Norte da Ilha. A banda tem 10 anos de carreira, cinco discos lançados e foi formada na cidade de Ibirubá, no Meio Oeste gaúcho.



Eles saíram de Carazinho, no Norte do Rio Grande do Sul, às 23h, de quinta-feira. O ônibus em que eles estavam não era o usado em todas as viagens pela banda. Isso porque, o veículo deles estava no conserto.

O trânsito na região do acidente ficou parcialmente fechado por quatro horas até que o ônibus fosse totalmente retirado. Pelo menos nove ambulâncias do Samu e Corpo de Bombeiros e dois helicópteros atuaram na ocorrência.

O ponto exato do acidente é isolado e não tem residências próximas. O ônibus se perdeu em uma das diversas curvas existente naquele trecho da rodovia. Como vinha no sentido Florianópolis, estava descendo a pista. Menos de 500 metros antes do acidente há um controlador de velocidade de 60 km/h.

Após o trabalho inicial da PRF, a Polícia Civil assumirá o caso para detalhar o que ocorreu e confrontar a versão de que o veículo ficou sem freio.



quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Rodrigo Esteves Ribeiro, cabeleireiro de 36 anos, é flagrado agredindo cachorro em Valença, no Sul do RJ







Ação, na Avenida do Contorno, foi registrada por câmeras de segurança.
Agressor se disse arrependido e pediu desculpa em uma rede social.


Do G1 Sul do Rio e Costa Verde

A Polícia de Valença investiga a agressão a um cachorro flagrada por câmeras de segurança de um estabelecimento comercial, na Avenida do Contorno, em Valença, no Sul do Rio de Janeiro. O crime aconteceu na última quarta-feira (14) e ganhou repercussão no início desta semana após as imagens serem compartilhadas centenas de vezes nas redes sociais.

"Isso não pode fazer com animal", disse uma moradora. "Você vê um ser humano fazer isso com um animal que não fez nada pra ele. Chega a me arrepiar, eu fico muito indignado", reclamou outro morador.
O homem que é visto no vídeo descendo do carro e chutando o cão é o cabeleireiro Rodrigo Esteves Ribeiro, de 36 anos. Ele já tem passagem pela polícia por lesão corporal, ameça e desobediência.

A denúncia foi feita pela namorada do homem que dirigia o veículo no momento da agressão. O caso foi registrado na 91ª Delegacia de Polícia (Valença) e o suspeito já prestou depoimento.

"Nós tínhamos já identificado o veículo pela placa e ele realmente confessou que por estar embriagado ele agrediu o cachorro. Por ironia ele disse que se arrepende e que gosta de cachorro. Não dá para acreditar", disse o delegado Luciano Coelho dos Santos, responsável pelo caso.

O cachorro, que é chamado pelo nome de Amarelo, foi resgatado por uma organização não-governamental (ONG) de proteção dos animais e passou por exames. Uma radiografia indicou uma mancha que, segundo o voluntário, pode ser um coágulo no rim. Nas próximas semanas ele deve passar por novos exames para verificar a necessidade de uma cirurgia.

"O animal já nasce sabendo perdoar. Ele sabe amar incondicionalmente a gente sabe que esse trauma vai passar. Ele precisa só de uma família que dê amor e carinho e que trate ele como membro da família" disse Sandro Alexandre da Silva, voluntário da ONG.


Agressor pede desculpa

Em uma rede social, o cabeleireiro Rodrigo Esteves Ribeiro postou um depoimento dizendo estar arrependido de seus atos e que vai arcar com as despesas do cão. " É com grande vergonha e arrependimento que venho a público pedir perdão pelo meu ato convarde, desumano, com aquele pobre cachorro. Eu estava alcoolizado, mas não justifica meus atos. Quero pedir perdão primeiro a Deus e depois às ONGs, e a vocês que estão lendo essa mensagem".





segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Pai e madrasta - Lenilson Barbosa de Souza, de 25 anos, e Katia Cristina de Almeida Lopes, de 27, - são presos por assassinato de criança de 2 anos de idade em Primavera do Leste, MT







Criança é achada morta em caixa e pai e madrasta são presos em MT
Pai disse que agrediu a filha depois que ela fez cocô na roupa e na cama.
Corpo da menina estava em uma caixa de papelão usado para mudança.


Denise Soares
Do G1 MT

Uma criança de 2 anos foi achada morta neste domingo (18) dentro de uma caixa de papelão, em uma mata que pertence a um loteamento em Primavera do Leste, a 239 km de Cuiabá (MT). Segundo a Polícia Civil, o pai e a madrasta foram presos no município de Água Boa, a 736 km da capital, suspeitos de envolvimento na morte da menina. A criança foi morta no dia 7 de setembro - porém, o crime só foi descoberto no fim de semana.

Lenilson Barbosa de Souza, de 25 anos, e Katia Cristina de Almeida Lopes, de 27, confessaram informalmente o crime, de acordo com a polícia. A madrasta disse às autoridades que Lenilson se irritou depois que a menina fez cocô nas roupas e na cama e  agrediu a filha. O G1 não conseguiu localizar o advogado do casal até a publicação desta reportagem.


Segundo a delegada Luciana Casaverde, o casal morava em Água Boa e foi trabalhar em uma fazenda na região de Paranatinga, a 411 km de Cuiabá. A mãe, que tem a guarda da filha, permitiu que a menina fosse passar uns dias com o casal. A madrasta, o pai e a criança ficaram nessa propriedade por aproximadamente um mês, até que se mudaram para Primavera do Leste.

“No dia 7 de setembro, ela [madrasta] foi ao mercado e, quando retornou, ele [o pai] disse que tinha batido na menina porque ela tinha feito cocô na roupa e na cama. A criança estava grogue e decidiram dar remédio para dores a ela. Deixaram a menina no quarto e durante a noite viram que ela foi a óbito”, declarou a delegada ao G1. A madrasta não disse qual remédio deu para a criança.


O pai e a madrasta não chamaram a polícia e nem procuraram ajuda depois que perceberam que a menina havia morrido.

“Desocuparam uma das caixas que usaram para a mudança, colocaram o corpo dentro de um saco plástico e o enrolaram no lençol que a criança dormia. Amarraram a caixa com uma corda e deixaram na casa. Foram trabalhar novamente em uma fazenda e regressaram depois de dois dias. Perceberam que [a casa] estava exalando um forte odor e decidiram se livrar da caixa [com o corpo]”, relatou Luciana.

De acordo com a delegada, somente no dia 12 de setembro o casal retirou a caixa com o corpo da menina de dentro da residência. Eles deixaram a caixa em uma área verde nos fundos do loteamento onde moravam. O casal ainda limpou a casa, que era alugada, e viajou para Goiânia.

“A mãe [da criança] tentava falar a todo momento [com a filha] e não conseguia. Em Goiânia, ele [o pai] ligou para a mãe e disse que a criança tinha desaparecido durante um assalto que sofreram. A mãe veio para a delegacia no sábado [dia 17] dizendo que a criança tinha desaparecido”, disse a delegada.


O casal retornou a Água Boa, onde vivia parte da família que se mobilizou para ir a Goiânia para tentar achar a menina. Os dois suspeitos chegaram a se oferecer para ajudar nas buscas. “Eles confessaram informalmente, mas na delegacia ele [o pai] ficou em silêncio", finalizou a delegada.

Os dois foram autuados por ocultação de cadáver. A perícia deve identificar a causa da morte.

O pai da criança indicou para a polícia o local exato em que a caixa havia sido deixada pelo casal. O corpo da criança deve passar por necropsia nesta segunda-feira (19) no Instituto Médico Legal (IML) de Primavera do Leste.



quinta-feira, 15 de setembro de 2016

A IMPUNIDADE EM ESTADO BRUTO: André Rodrigues Marins - assassino impune de sua filha Joanna Marcenal, 5 anos, há seis anos - agora responde por agressão contra sua outra filha de 8 anos de idade no RJ








André Rodrigues Marins, assassino indiciado por tortura que levou à morte sua filha Joanna Marcenal aos cinco anos de idade, agora é acusado de maus tratos contra sua outra filha, M.E, de oito anos de idade...

Possível que a Justiça esteja aguardando que ele mate outra criança para finalmente enfiar este imbecil atrás das grades...

M.E.Maia Furtado Marins, 8 anos, é filha do serventuário judicial, lotado na 5a. Vara da Fazenda Pública (sala 413 do Fórum Central do RJ) e de sua atual esposa Vanessa Maia Furtado que também move duas ações de agressão do mesmo sujeito contra ela própria...

André Rodrigues Marins continua espancando mulheres e crianças e solto...

O mais bizarro da trajetória deste cidadão André Rodrigues Marins é que possuir um cipoal pregresso de mais de 120 processos (que vão de agressão; homicídio triplamente qualificado; falsidade ideológica; estelionato e tortura continuada e a Justiça permanece inerte enquanto este vagabundo passeia fagueiro abaixo das asas negras da Lei e nada lhe atinge, como se estivesse intocável acima de qualquer suspeição levantada e relatada por autos concluídos em inquéritos de delegados de polícia, testemunhas e comprovação técnica de perícia e promotoria pública...

Mais estarrecedor ainda que não exista nenhuma movimentação do Judiciário indicando indignação por possuir em seus quadros um integrante deste naipe macabro que se move como pertencente a alguma casta inatingível apesar de toda barbárie que providencia...

O marginal André Rodrigues Marins subverte todas normas sociais, códigos e regras e nada lhe acontece como punição exemplar para impedir crimes seriados e irritantemente  com a mesma semelhança ...

André Rodrigues Marins utiliza o modus operandi de crimes clandestinos, sem condições de serem flagrados por câmeras ou conter testemunhas no exato instante da barbárie...

Nada consegue parar André Rodrigues Marins, nem mesmo o poder público se encarrega de freá-lo...

André Rodrigues Marins se apresenta à todas audiências, alega residência fixa e  emprego instável e sai pela porta da frente de qualquer instituição judiciária desdenhando da fragilidade da autoridade constituída...

André Rodrigues Marins é um deboche que anda...

Toda comoção social e repercussão em todas mídias após o assassinato de Joanna Marcenal, trucidada e aniquilada por este psicopata, não foi suficiente para interceptar outras tragédias que foram se multiplicando com igual conivência de quem tem como função única interceptar episódios criminosos anunciados...

Na boa, até por precaução e para a segurança pessoal e integridade física do André Rodrigues Marins, seria prudente que este desgraçado fosse imediatamente  elevado ao Complexo de Gericinó e responda por sua anormalidade devidamente acautelado pela Justiça...

Antes que cometa algum mal maior...

E, ou...

Que algum desavisado resolva por conta própria por fim à sua carreira de crime...

Com a palavra o Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro...

Aguardemos!




Jorge Schweitzer


  


PS: Por favor, assinem o Abaixo Assinado pedindo punição aos assassinos de Joanna Marcenal:
Participem!



   




segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Acampamento Farroupilha 2016, Porto Alegre RS







Júlia Wanderley da Silva, adolescente de 15 anos, desaparecida no Rio Comprido RJ






Adolescente de Rio Comprido está desaparecida há dois dias
Informações que possam auxiliar no caso podem ser enviadas para as redes sociais da Delegacia de Descoberta de Paradeiros
   
POR O GLOBO


RIO - A Delegacia de Descoberta de Paradeiros busca informações que possam auxiliar a encontrar a jovem Júlia Wanderley da Silva, moradora de Rio Comprido. A adolescente, de 15 anos, foi vista pela última vez ao sair de casa na última sexta-feira, por volta das 15h.

Quem tiver informações pode enviar por meio do Whatsapp ou Telegram dos Desaparecidos (21) 96802-1650, pela página do Facebook ou pelo Disk Denúncia: (21) 2253-1177.




Pedro Chavarry Duarte, de 62 anos, o coronel PM acusado de abusar de criança de 2 anos no RJ






‘Não foi a primeira vez em que ele apareceu com criança’, diz testemunha sobre coronel acusado de estupro


Paulo Víctor Mafrans


Quem vê o coronel reformado da Polícia Militar Pedro Chavarry Duarte, de 62 anos, ostentando as patentes que lhes foram conferidas ao longo dos 42 anos de atividades, não imagina o rastro de crimes que ele deixou até ser preso no fim da noite deste sábado, acusado, desta vez, de estupro de vulneráreis e corrupção ativa. O crime da vez começou a ser desvendado por volta das 20h, quando o agente foi a uma loja de fast food que fica na Rua Barreiros, em Ramos. Lá, enquanto a atendente recebia o pedido de um lanche, ela viu que uma criança acompanhava o coronel reformado no banco do carona. Minutos depois, o coronel foi pegar o sanduíche e a menina de 2 anos, que até então estava vestida, foi vista nua.

— Essa não foi a primeira vez em que ele apareceu com uma criança por aqui — revelou uma testemunha, que relembrou: — Ele se assustou quando a atendente viu a menina, nua e virada para ele, mas continuou ali. Pegou o lanche, desligou os faróis e ficou no estacionamento por volta de 20 minutos. A atendente ficou assustada com a situação e comentou com uma cliente, que ligou para a polícia. Em pouco tempo, os policiais apareceram por aqui — revelou a testemunha.

Ainda segundo o relato, o acusado se assustou ao ver a sirene acesa e tentou sair pelo outro lado, mas foi denunciado pelos cerca de 15 clientes que estavam no local.

— Ele, que nem chegou a sair do carro, ficou muito assustado ao ser reconhecido, com os olhos enormes — acrescentou a testemunha.


Pedro Chavarry Duarte conseguiu fugir, mas foi abordado pelo agentes do 22º BPM (Benfica) na altura do número 576. O acusado tentou subornar os militares, mas foi levado para Cidade da Polícia, no Jacaré, Zona Norte do Rio, e depois encaminhado para o Batalhão Especial Prisional (Bep) da Polícia Militar, em Niterói.

Em nota, a Polícia Militar informou que o coronel reformado, além de responder perante a Justiça comum, também será submetido a um Processo Administrativo Disciplinar que julgará sua expulsão.

"Resolvo tudo na segunda-feira. Na segunda vai fazer sol. Tá ventando, hoje. Vamos acabar com essa ocorrência", ameaçou o coronel. Ainda de acordo com o relato dos PMs que participaram da prisão, o oficial ainda ofereceu vantagens e fez gestos como se estivesse oferecendo dinheiro.

Minutos depois, uma mulher ainda não identificada apareceu no local e informou que era responsável por tomar conta da criança. Ela foi orientada a comparecer à Delegacia da Criança e Adolescente Vítima para prestar esclarecimentos durante a semana e, portanto não foi presa. No registro de ocorrência, ela aparece como envolvida no caso.Logo depois, uma outra mulher chegou ao local com a certidão de nascimento da pequena. Ela afirmou para os PMs que o oficial dava dinheiro para sair com a garotinha.

Pedro Chavarry Duarte, de 62 anos, é presidente da Caixa Beneficente da Polícia Militar do Rio de Janeiro desde 2010. Na década de 1990, o então capitão Chavarry foi investigado por envolvimento com o jogo do bicho e receber propina do contraventor Castor de Andrade. Ele ingressou na corporação aos 19 anos. 

Formado em Direito, Chaverry passou pelo gabinete de quatro comandantes-gerais, relações-públicas da PM e membro da mesa diretora da irmandade de Nossa Senhora das Doras da PM. Em 2014, ele foi candidato a deputado federal pelo Rio, pelo Partido Social Liberal, mas não foi eleito.


Pedro Chavarry Duarte, coronel da PM reformado de 62 anos, é preso em flagrante acusado de estuprar menina de 2 anos no RJ




Ricardo Rigel



Um coronel reformado da Polícia Militar foi preso, na madrugada deste domingo, com uma criança de 2 anos do sexo feminino que estava completamente nua dentro do seu veículo. O flagrante foi feito por policiais do 22º BPM (Benfica), na Rua Barreiros, em Ramos, na Zona Norte do Rio. Ao perceber que os PMs dariam prosseguimento à ocorrência, o oficial ainda tentou subornar os militares. Pedro Chavarry Duarte, de 62 anos, é o atual presidente da Caixa Beneficente da Polícia Militar do Rio de Janeiro.

De acordo com informações passadas pelos PMs que levaram o coronel para a Cidade da Polícia, no Jacaré, uma denúncia anônima dava conta de que um homem estava com uma criança nua e que chorava muito, dentro de um veículo Jetta branco estacionando em um posto de gasolina. Ao chegarem no local, os policiais constataram que se tratava do coronel Chavarry Duarte.


Depois de se identificar, o coronel pediu para que os policias não dessem prosseguimento à ocorrência e que resolvessem a situação ali mesmo. Percebendo que estava sendo subornado, um dos policiais passou a filmar o oficial que chegou a falar: "Resolvo tudo na segunda-feira. Na segunda vai fazer sol. Tá ventando, hoje. Vamos acabar com essa ocorrência". Ainda de acordo com o relato dos PMs que participaram da prisão, o oficial ainda ofereceu vantagens e fez gestos como se estivesse oferecendo dinheiro.

Passados alguns minutos, uma mulher, ainda não identificada, apareceu no local e informou que era responsável por tomar conta da criança. Ela foi orientada a comparecer à Delegacia da Criança e Adolescente Vítima para prestar esclarecimentos durante a semana e, portanto não foi presa. No registro de ocorrência, ela aparece como envolvida no caso. Logo depois, uma outra mulher chegou ao local com a certidão de nascimento da menina. Ela afirmou para os PMs que o oficial dava dinheiro para sair com a garotinha.

De acordo com a Polícia Civil, a delegada Carolina Marins, da Central de Garantias, após apreciar as provas, autuou em flagrante o coronel reformado pelos crimes de estupro de vulnerável e corrupção ativa. A criança foi entregue aos responsáveis legais e será encaminhada à Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (DCAV) para entrevista de revelação. Cópias do procedimento serão encaminhadas ao Conselho Tutelar, para garantir a assistência à criança, e à 21ª DP (Bonsucesso) para prosseguir na investigação quanto a possíveis envolvidos no crime.


Imagem de respeito na corporação

No site da Caixa Beneficente, um histórico destaca os pontos altos da carreira do coronel Pedro Chavarry na Polícia Militar. Segundo o site, ele ingressou na PM com apenas 19 anos, e três anos depois se tornou aspirante. Dentro da corporação passou por vários batalhões, entre eles o 4° Batalhão em São Cristóvão, o 8° em Campos de Goytacazes, 14° em Bangu e o 16° em Olaria. A publicação ainda destaca que o oficial "adquiriu experiência necessária para se tornar um homem influente e bem visto dentro da corporação".

Formado em Direito e com 42 anos na PM, Chavarry está há quase seis anos no comando da Caixa Beneficente e ainda tem em seu currículo a passagem pelo gabinete de quatro comandantes-gerais, relações-públicas da Polícia Militar, membro da mesa diretora da irmandade de Nossa Senhora das Dores da PM e Diretor Social da Caixa Beneficente na gestão do ex-presidente da instituição Ary Lopes.

Em nota divulgada pela Polícia Militar, a corporação afirma que "repudia e combate qualquer tipo de crime" e confirma que o oficial ofereceu vantagens aos policiais militares. "A equipe recusou a oferta e o conduziu preso para o registro. O Policial já foi conduzido para a Unidade Prisional em Niterói".


Veja a nota da Polícia Civil na integra:

"De acordo com a Central de Garantias, policiais militares conduziram na noite de ontem, dia 10 de setembro, o Coronel da Polícia Militar, reformado, Pedro Chavarry Duarte, de 62 anos. De acordo com os policiais militares, o referido coronel reformado foi encontrado em um carro com uma criança de dois, nua. O autor, para não ser conduzido e se manter impune, ofereceu vantagens aos policiais militares. A Delegada de Polícia Carolina Marins da Central de Garantias, após apreciar as provas, autuou em flagrante o coronel reformado pelos crimes de estupro de vulnerável e corrupção ativa. A criança foi entregue aos responsáveis legais e será encaminhada à Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima - DCAV para entrevista de revelação. Cópias do procedimento serão encaminhadas ao Conselho Tutelar, para garantir a assistência à criança, e à 21ª Delegacia de Polícia para prosseguir na investigação quanto a possíveis envolvidos no crime."


Veja a nota da Polícia Militar na Integra:

"De acordo com informações do 22º BPM (Maré), na noite de sábado (10/09), a unidade foi acionada para checar denúncia de estupro de vulnerável em Ramos e chegando ao local encontrou o veículo informado pelo denunciante. O carro foi abordado pelos policiais militares e no seu interior estava um senhor junto de uma criança nua. O senhor se identificou como Policial reformado e pediu que a ocorrência fosse encerrada, oferecendo vantagens aos policiais militares. A equipe recusou a oferta e o conduziu preso para o registro. O Policial já foi conduzido para a Unidade Prisional em Niterói. A Polícia Militar repudia e combate qualquer tipo de crime".

sábado, 10 de setembro de 2016

10 de Setembro: Dia do Gordo...








Preparando o bote no poleiro...











A Justiça farda, mas não talha...









Morreu nos EUA, aos 92 anos, a ex-enfermeira americana Greta Zimmer Friedman






Morreu nos EUA, aos 92 anos, a ex-enfermeira americana Greta Zimmer Friedman. Ela ficou famosa no mundo todo ao ser fotogradada em Nova York recebendo um beijo de um marinheiro durante as comemorações pelo fim da 2ª Guerra Mundial, em 14 de agosto de 1945.



Eduardo Santos Silva, o cadeirante de 42 anos acusado de pedofilia, assassinado na Bahia










Estive assistindo - diversas vezes - o vídeo deste crime ocorrido na Bahia...

Quem executou Eduardo Santos Silva, cadeirante de 42 anos acusado de pedofilia, estava determinado a matá-lo...

Simplesmente preferiu gravar antes sua confissão para lhe servir de álibi mais a frente, já que possível que seja parente ou amigo de uma das vítimas e será, obviamente, localizado pela Polícia...

Eduardo Santos Silva está amedrontado, mas não transparece pânico alucinado de quem pressente que irá morrer...

Eduardo Santos Silva talvez acreditasse que ao se desculpar tudo estaria resolvido e....

Vida que segue...

Só que, não...

O cadeirante Eduardo confessa que errou 'levado pelas aparências' e antes de tomar um tiro no olho esquerdo tenta atenuar que não violentou (por motivos óbvios) e ocorre o disparo...

As bermudas, camisetas e chinelos dos executores aparecem nas imagens e servirão de pistas...

O revólver calibre 38 não é arma utilizada por profissional criminoso ou traficante justiceiro da região, que ostentam armas automática e não fogem ao primeiro disparo...

Agora...

Devemos sempre aguardar que a Justiça faça sua parte e entregar suspeitos meliantes rendidos para a Polícia abrir inquérito...

Daí..

Alguns não têm paciência para aguardar...

Ou...

 Desconfiam seriamente da morosidade do Judiciário...

E, aí...

Dá no que deu...

Crime contra crianças é uma atrocidade onde o descontrole por vingança levada às últimas consequências, por alguém indignado, certamente será considerada na pauta de qualquer Tribunal do Juri...




Jorge Schweitzer